SOBRE  

Site focado no turismo no Japão  e Asia  com ênfase em guias de turismo.  

  Blog focado em experiências pessoais de viagens pelo Japão é pelo mundo pela fundadora e Guia de Turismo Sarah Blasko 

Contato:

guiasbrasileirosnojapao@gmail.com

Contate-nos

Organização  Nacional  de 

Turismo Japonês 

Copyright © 2018 Mother Nomad. All rights reserved.

MEU PRIMEIRO SALTO DE PARAQUEDAS NO JAPÃO


Bem resolvi postar meio que imediatamente para tentar descrever em palavras tudo o que representou hoje o dia escolhido para o meu Salto de Paraquedas.

Ter tomado essa decisão de Saltar de Paraquedas foi uma das melhores coisas que fiz na minha vida.

Sempre existiu a vontade de saltar de Paraquedas, em alguns momentos era mais forte, mas ultimamente ficou mais forte ainda Confesso que só de pensar já sentia calafrios e sintomas de ansiedade mas tomada a decisão, não esperava a hora de chegar o dia Então comecei a fazer uma preparação psicológica

Acho que assim que você decide passar por isso, de todas as maneiras você tenta imaginar ou simular na mente como será a sensação, o tipo de medo que vai sentir; e minha forma de fazer isso era claro vendo vídeos de pessoas que já haviam saltado. Primeiro vídeo e eu fui às lágrimas. Sim, chorei vendo um vídeo! E não era de emoção não, era de medo mesmo na hora que eu vi o cara na portinha do avião e a altura que ele estava. Instantaneamente fiquei tentando me imaginar naquela cena e fiquei tremendo… .nunca tive medo de alturas e sempre gostei de adrenalina e claro que passar por essa experiência estava dentro dos meus planos de vida.

Chegando no aeroporto de Honda em Saitama as 9 da manha sem ter dormido quase nada anoite estava um poço de ansiedade! Conforme o tempo foi passando, a angústia foi crescendo. eu e fiquei a maior parte do tempo olhando pro céu, claro, rs. O nervosismo era tanto que estava com as maos suando (antes da minha turma foi uma outra e ) víamos as pessoas voltando com enorme sorriso no rosto e expressões de satisfação então deveria ser algo realmente bom assim que você chegasse ao chão sã e salvo!!Eis que chega a hora! Já devidamente vestida com o macação da escola, conheci o instrutor que vai me a me acompanhar e ele começa a filmar e passar as intruções básicas para o salto. Somos levados para um carro e com ele chegamos até o avião! Hora do pânico! Eu acho que se a pessoa quer desistir é esse o momento porque a partir do momento que você entra no avião e ele decola, é como se você estivesse no piloto automático. Você escolheu passar por isso e você não quer desistir, quer apenas sentir a sensação e chegar de volta ao chão.São 20 minutos voando e foi muito divertido apesar do nervosismo. Os instrutores conversando,filmando alguns fazendo brincadeiras, o clima realmente vai ficando mais leve! O que dá um certo desespero é o fato de o avião ser pequeno e ir lotado, com 19 pessoas a bordo você mal consegue se mexer! E de repente a porta se abre e nossa, a sensação é inexplicável! Céu azul, muito vento, muitas nuvens, e lá fora somente a paisagem de Google Earth,rs! No meu avião fiquei meio passada porque foi uma homem que abriu a porta do avião e saltou sozinho, do nada. Foi uma cena digamos inspiradora, rs...

Voltando à porta do avião, só lembro de ter perguntado ao instrutor ” Então eu pulo ou você me empurra?” Na verdade não acontece nenhum dos dois, pois você vai agachada até a porta do avião, se posiciona olhando para cima e de repente quando você menos espera você cai, como se fosse um pequeno empurrão do instrutor. Lembro que assim que saltamos, eu fiquei esperando a sensação de frio na barriga pois imaginava que deveria ser mais ou menos parecida com a que sentimos na montanhas russas e brinquedos de parques , mas o engraçado é que não deu frio na barriga nenhum!

É muito diferente explicar com palavras e eu me impressionei com a minha reação porque eu estava esperando que ia chorar ou fazer cara de pânico, gritar socorro e foi bem o contrário. Eu gritava o tempo todo:” Isso é lindoooo, lindooo” E curti cada segundo da queda livre. Assim que o paraquedas abriu, voltei à realidade e me emocionei muito por ter conseguido mas só conseguia gritar! Neste momento é a hora que você realmente cai na real do que acabou de fazer! Lembro que antes de chegar ao chão, o instrutor fez uns loops com o Paraquedas e eu gritei muito, porque dá muita tontura. Um detalhe que achei bem interessante é que não dá medo de altura depois que o paraquedas abre e você recobra sua consciência, mesmo estando ainda muito alto! Talvez seja a falta de referência, o fato de não estar com os pés em algum lugar, porque eu me lembro de já ter sentido mais medo no parapeito de um prédio do que a 1000 metros de altura presa a um paraquedas. hehe.

Chorei ao pousar, de emoção claro ! E a vontade comum a 100% das pessoas neste dia era voltar ao avião e saltar de novo, basicamente a mesma sensação que você tem quando vai num brinquedo no parque, não tem que enfrentar fila e volta em seguida!

Gostei tanto da experiência e me senti tão bem que em breve estarei de volta nos céus de Honda ! E não é exagero meu dizer que este dia vai ficar marcado na minha vida porque nunca havia passado por sensações como essa e por mais que tivesse tentado adivinhar o que eu iria sentir, não consegui chegar nem perto, mas isso só saltando pra você entender. Dizem que os melhores sentimentos são aqueles que não conseguimos expressar com as palavras nao e ???

#tokyo #Japan #Skydiving #paraquedismo

68 visualizações